sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Exercício práticos de uma fé viva


Quando vires uma imagem do crucificado, dize: É, pois verdade, meu Deus, que morrestes por amor de mim. Quando vires uma ovelha levada ao matadouro, recorda-te, com São Francisco, do inocente Jesus, conduzido da mesma forma à morte.
Quando vires cordas, espinhos, cravos, põe diante dos olhos tudo o que Jesus sofreu durante Sua paixão.

Quando vires serras, martelos, machados, plainas, considera como Jesus, em Sua mocidade, trabalhava como carpinteiro na oficina de Nazaré. Quando vires uma gruta, manjedoura ou palha, pondera como o Menino Jesus, por amor de ti, nasceu em uma gruta e foi colocado em uma manjedoura, sobre palhas.

Quando atravessares uma região deserta, lembra-te dos desertos que atravessou o Menino Jesus em Sua fuga para o Egito. Quando vires altares, cálices, paramentos sagrados, ou, nos campos, as espigas de trigo e os cachos de uva, reflete no grande amor que nos mostrou Jesus, instituindo o SS.Sacramento do altar. Quando contemplares o céu estrelado, pensa que uma vez possuirás a Deus, nessas regiões, se O amares aqui na terra.

Quando te alegrares com a vida de jardins recamados de flores, de paisagens magníficas, ou de soberbas praias do mar, pensa que Deus preparou para os que O amam delícias muito maiores. Quando vires o mar bonançoso ou irado, vê nele a imagem de uma alma que se acha no estado de graça ou desgraça de Deus.

Quando ouvires roncar o trovão e tremeres de pavor, representate como os ímpios tremerão uma vez, ao escutarem os trovões da justiça divina. Quando vires um criminoso tremer diante de um juiz, pensa no terror que se apoderará do pecador, ao aparecer diante de Jesus Cristo. Quando vires uma daquelas fornalhas em que o bronze mais duro se torna líquido pela veemência do fogo, pondera que por teus pecados merecerias ser queimado eternamente nas chamas do inferno.

Quando encontrares uma árvore seca, representa-te o triste estado de uma alma que vive separada de Deus e que para mais nada serve que para ser consumida pelo fogo do inferno. Quando vires um soberbo túmulo, dize contigo: Se este homem estiver condenado, que lhe aproveita esse magnífico mausoléu?

Quando vires um relógio, como sempre caminha sem voltar para traz, pensa que tua vida se aproxima cada vez mais do termo.Quando encontrares um cortejo fúnebre, pondera que um dia também serás assim levado para o túmulo. Quando te achares em teu quarto, ou te deitares, pensa que Jesus Cristo, talvez nesse mesmo lugar, te há de julgar um dia.

(Escola da Perfeição Cristã para seculares e religiosos, Pe. Saint Omer, C.SS.R, obra compilada dos escritos de Santo Afonso Maria de Ligório, Doutor da Igreja, pelo Pe. José Lopes, C.SS.R, IV- Edição, Editora Vozes, 1955)

Nenhum comentário:

Postar um comentário