quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Achar-me-ás em ti!


Achar-me-ás em ti!

Alma, busca-te em Mim
E a Mim busca-me em ti.

Tão fielmente pôde o Amor
Alma, em Mim, retratar-te
Que nenhum sábio pintor
A tua imagem pôde figurar.

Foste, por amor, criada
Formosa, bela e assim
Dentro do Meu ser pintada.
Se te perderes, minha amada,
Alma, procura-te em Mim.

Porque Eu sei que te acharás
No Meu peito retratada,
Tão vivamente figurada
Que ao ver-te folgarás
Por te veres tão bem pintada.

E se acaso não souberes
Em que lugar Me perdi,
Não andes dali para aqui
Porque se encontrar-Me quiseres
A Mim, Me acharás em ti!

Em ti, que és o meu aposento
És a minha casa e morada.
Aí busco, a cada momento,
Em que do teu pensamento
Encontro a porta fechada.

Só em ti há que buscar-Me,
Que de ti nunca fugi;
Nada mais do que chamar-Me
E logo irei, sem tardar-Me,
E a Mim, me acharás, em ti!

(Santa Teresa de Ávila, "Poesias", poesia número 8)

Nenhum comentário:

Postar um comentário