sexta-feira, 29 de julho de 2011

Da privação de toda consolação


Quando, pois, Deus te mandar consolação espiritual, recebe-a com ações de graças, mas lembra-te que é dom de Deus, e não merecimento teu.
Com ela não te desvaneças, nem te entregues a excessiva alegria ou a vã presunção; sê antes mais humilde pelo dom recebido, mais prudente e zeloso em tuas ações, pois passará aquela hora de alegria e voltará a tentação. Quando te for tirada a consolação, não desesperes logo, mas aguarda, com humildade e paciência, a visita celestial: pois Deus é bastante poderoso para restituir-te maior graça e consolação que a precedente.
Isto não é novo nem estranho aos que são experientes nos caminhos de Deus; porque os grandes santos e antigos profetas experimentaram muitas vezes esta alternância de paz e perturbação. (Imitação de Cristo Liv. II ,Cap. IX )

Nenhum comentário:

Postar um comentário