terça-feira, 7 de maio de 2013

Maria, doce Mãe da infinita misericórdia



Catarina Benincasa nasceu em Sena (Itália), no dia 25 de março de 1347, Domingo de Ramos e Festa da Anunciação. Catarina, ao logo de toda a sua vida contemplava Maria, no mistério da Encarnação e do Calvário.





Ela chamava Maria de "doce Mãe", e mergulhava, misticamente no sangue de Jesus, que salva e dá vida ao pecador.


Consagrada, mas não no claustro... Penitente e missionária... (...)


Em 1380, Catarina faleceu em Roma, aos 33 anos, sem ter visto o fim do cisma. Foi canonizada, em 1461, pelo Papa Pio II e foi declarado Doutora da Igreja pelo Papa Paulo VI, no dia 4 de outubro de 1970, juntamente com Santa Teresa de Ávila. (...)


Uma das chaves de seu discernimento é a relação entre as ações humanas, que são limitadas, e o amor divino, que é infinito.


(...) Maria é muito importante, porque através dela o Verbo se fez carne. E o Verbo encarnado revela aos homens a dimensão infinita do amor.


O pecado é sempre finito, porque é humano. A misericórdia de Deus é infinita, porque é divina. O Amor que acompanha nossas ações é infinito... É por isso que amar Maria nos salva da condenação...

Nenhum comentário:

Postar um comentário